Política

Estudantes da UFT usam tribuna da Câmara Municipal de Gurupi para protestarem contra cortes do governo

Por: Redação

15/05/2019 - 12:34h

Ao fim da sessão ordinária desta quarta-feira, 15, estudantes da Universidade Federal do Tocantins participantes do protesto em prol da educação, que reúne estudantes, professores e servidores da UFT e do Instituto Federal do Tocantins (IFTO), usaram a tribuna para expressarem revolta contra o corte do Governo Federal.

O ex-estudante da UFT, Marcos Miranda, conta que aderiu ao manifesto para apoiar os colegas e profissionais da educação que estão sendo prejudicados com a redução de verbas. “ Sabemos que existem outras formas da gente mudar o país sem afetar educação, saúde, segurança pública, que são primordiais para que a sociedade cresça e se estabeleça de forma justa, queremos o apoio de vocês que são a nossa voz, a voz do povo. As universidades federais são responsáveis por cerca de 90% das pesquisas no país, como que a indústria vai produzir sem pesquisa? Como o país vai se desenvolver sem pesquisa, sem educação?”, indagou o estudante.

O vereador Eduardo Fortes se manifestou a favor do protesto. “Sou contra o que o Governo Federal está fazendo, e sabemos o quanto isso irá prejudicar a educação em nosso país”.

Para Ataíde Leiteiro (PPS), serão prejudicados principalmente os jovens que ainda vão iniciar um curso superior e não tem condições de pagar uma universidade particular. “Como que o filho do carroceiro, o filho de uma doméstica, das pessoas que não tem condições financeiras vão pode estudar se as universidades públicas fecharem as portas devido a redução desses repasses?”, questionou o vereador.

Rodrigo Cordeiro, estudante do curso de Engenharia de Bioprocessos e Biotecnologia, concordou e acrescentou. “Sem os cortes já enfrentávamos dificuldadesa gente vai pro laboratório 6 horas da manhã para trabalhar com reagente usado de 2008, reagente nocivo, pra fazer pesquisas para o desenvolvimento regional e é apenas um das inúmeras dificuldades que passamos”, desabafou o universitário.

Ivanilson Marinho parabenizou os alunos pela atitude. “ Temos que lutar sim pelos nossos direitos, e o que esperamos é que haja uma sensatez nas políticas públicas do governo federal e que não venha a prejudicar ainda mais a educação no país”.

Entenda

No final de abril o MEC anunciou cortes de 30% em repasses para as universidades federais de todo o país alegando ser uma medida preventiva devido ao cenário econômico do país.

Após anúncio da MEC, a UFT emitiu comunicado de que o corte seria 42%, e não 30% como informado pelo MEC ,reduzindo em  R$ 18 milhões os repasses para a instituição.

 

Busca rapida:

“Os comentários aqui postados são de inteira responsabilidade de seus autores, não havendo nenhum vínculo de opinião com a Redação da equipe do Jornal Cocktail”

Imóveis

Adicione os Imóveis na página!