O que é um Psicopata?

Por: Moyses Chaves

05/05/2016 - 17:09h

Os transtornos de personalidade afetam o modo como o indivíduo vê o mundo, a maneira como expressa as emoções e o comportamento social. Caracteriza um estilo pessoal de vida mal adaptado, inflexível e prejudicial a si próprio e/ou aos conviventes.

O Anti-social, mais conhecido como psicopata, se caracteriza pelo padrão social de comportamento irresponsável, explorador e insensível constatado pela ausência de remorsos. Essas pessoas não se ajustam às leis simplesmente por não quererem, riem-se delas, têm problemas legais e criminais por isso. Mesmo assim não se ajustam. Freqüentemente manipulam os outros em proveito próprio, têm dificuldades para manter um emprego ou um casamento por muito tempo.

São pessoas que convivem conosco no trabalho, escola, na mesma rua. O psicopata não aparenta ser um bandido, presidiário ou outra coisa parecida, pelo contrário, eles podem ser muito bem vistos perante a sociedade e geralmente são agradáveis.

Alguns dos aspectos essenciais desse transtorno de personalidade estão listados abaixo:

 

  • Insensibilidade aos sentimentos alheios
  • Atitude aberta de desrespeito por normas, regras e obrigações sociais de forma persistente.
  • Estabelece relacionamentos com facilidade, principalmente quando é do seu interesse, mas dificilmente é capaz de mantê-los.
  • Baixa tolerância à frustração e facilmente explode em atitudes agressivas e violentas.
  • Incapacidade de assumir a culpa do que fez de errado, ou de aprender com as punições.
  • Tendência a culpar os outros ou defender-se com raciocínios lógicos, porém improváveis.

 

O transtorno de conduta e o transtorno desafiador de oposição são categorias diagnósticas usadas para crianças e adolescentes, enquanto o transtorno de personalidade anti-social aplica-se aos indivíduos com 18 anos ou mais. Por convenção, o diagnóstico só deve ser dado a adultos, ou no final da adolescência, pois a personalidade só está completa nessa época, na maioria das vezes.

São fatores associados a comportamento anti-social na infância: ser do sexo masculino, receber cuidados maternos e paternos inadequados, viver em meio à discórdia conjugal, ser criado por pais agressivos e violentos, ter mãe com problemas de saúde mental, residir em áreas urbanas e ter nível socioeconômico baixo.

Os tratamentos são bastante variados, incluindo intervenções junto à família e à escola. Quanto mais precocemente iniciados e quanto mais jovem o paciente, melhores os resultados obtidos.

Dr Moysés Chaves

Médico Psiquiatra

CRM – TO: 1539

RQE – TO: 645

Busca rapida:

“Os comentários aqui postados são de inteira responsabilidade de seus autores, não havendo nenhum vínculo de opinião com a Redação da equipe do Jornal Cocktail”