Liberdade!

Por: Getúlio Dutra

24/11/2016 - 10:53h

Dizem que ela é de Marte e que tem pacto com o deus verde, não da guerra, mas do riso. Parece que ela domina vários idiomas – das gentes, das plantas e dos bichos. Ela baila uma dança engraçada de criança, dançarina e gazela. Desconfiam alguns que ela seja uma lenda, daquelas que a história é contada de um modo diferente por cada ser vivente. Afirmam que, nas noites de luar, ela adentra no mar e, às vezes, no mato só para no dia seguinte retornar mais natureza do que natural. Ouvi dizer que dia desses passados ela surgiu em sonho, ao mesmo tempo, para velhinhos abandonados e crianças de abrigo e mulheres oprimidas e pessoas discriminadas e sussurrou entre riso, lágrima e abraço de urso que não duvidassem que o que há de mais especial na vida é a capacidade de acreditar nos sonhos e, se preciso for, ressonhar, cada um do seu jeito, sem fórmulas ou regras; e confessou também para um homem que não acreditava em nada e em ninguém que ela não é uma, mas muitas. Nunca a vi, não sei se ela existe, se é invenção, sonho ou alucinação, mas misteriosamente acredito nela. Dizem que ela é dali, do fundo da mata, filha de reis, que venciam batalhas sem usarem armas, lanças, flechas, machados ou palavra ruim. E a cada vitória a conquistavam ainda mais.

Parece que o nome dela é Liberdade!

Busca rapida:

“Os comentários aqui postados são de inteira responsabilidade de seus autores, não havendo nenhum vínculo de opinião com a Redação da equipe do Jornal Cocktail”